Close
Metadata

%0 Thesis
%4 sid.inpe.br/iris@1912/2005/07.18.21.44.32
%2 sid.inpe.br/iris@1912/2005/07.18.21.44.38
%F 23
%A Castro, Luiz Arnaud Britto de,
%T Mapeamento de áreas favoráveis à ocorrência de albacora-de-lage no Norte e Nordeste do Brasil, com utilização de sensoriamento remoto e dados oceanográficos
%D 1983
%E Almeida, Emmanuel Gama de (presidente),
%E Stevenson, Merritt Raymond (orientador),
%E Maluf, Sydnéa (orientadora),
%E Camin, Luiz Alberto Zavala,
%E Stech, José Luiz,
%8 1982-08-27
%J Mapping of areas favorable to yellowfin tuna off Northern and Northeastern Brazil using remote sensing and oceanographic data
%I Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%C Sao Jose dos Campos
%K oceanografia, Região Norte – Brasil, Região Nordeste – Brasil, albacora-de-laje, atum, pesca, salinidade, oxigênio, parâmetros oceanográficos, mapeamento, modelos matemáticos, temperatura do mar, satélites GOES, oceanógrafo, fishes, ocean surface, ocean temperature, oxigen, salinity, oceanographic parameters, mapping, mathematical models, sea surface temperature, GOES satellite.
%X Procurou-se mapear, a partir de dados de sensoriamento remoto e dados oceanográficos históricos, as áreas oceânicas onde as condições ambientais fossem mais favoráveis a ocorrência de albacora-de-laje (Thunnus albacares), numa área delimitada pelos meridianos de 20° W e 60 ° W e pelos paralelos de 10° N e 20° S. Não sendo possível a utilização direta das imagens infravermelhas dos satélites SMS/GOES, devido a excessiva e constante cobertura de nuvens na região estudada, tomaram-se as cartas GOSSTCOMP como base para mapeamento da temperatura superficial do mar. Os dados de salinidade e oxigênio dissolvido foram obtidos das informações armazenadas no Banco Nacional de Dados Oceanográficos (BNDO). Correlações matemáticas entre os dados de captura e os dados oceanográficos apontaram os limites extremos para a ocorrência da espécie: 26° C de temperatura superficial mínima, 28,6° C de temperatura máxima, salinidade máxima de 36,8°/oo e 5,7 ml/l de oxigênio dissolvido Máximo. Não foram identificados os mínimos de salinidade e oxigênio. Os valores máximos de salinidade e temperatura superficial não ocorreram no interior da área delimitada pelo mínimo de temperatura superficial. Como o valor Máximo de oxigênio dissolvido não e fator restritivo, as áreas consideradas mais favoráveis a ocorrência de albacora-de-laje e apresentadas na forma de cartas foram delimitadas apenas pela temperatura superficial mínima. Os resultados das capturas em 1980, na área estudada concordam com as áreas mapeadas. ABSTRACT: One attempt is made to map those oceanic areas where environmental conditions are more favorable to yellowfin tuna (Thunnus albacares), using remotely sensed and historical oceanographic data. The study area is delimited by 20°W and 60°W meridians and-by 10°N and 20° S parallels. As direct use of infrared images of SMS/GOES satellite was precluded by the heavy and constant cloud cover, GOSSTCOMP charts were used to map sea surface temperatures. Data on salinity and dissolved oxigen came from "Banco Nacional de Dados Oceanográficos (BNDO)". Mathematical correlations between catch and oceanographic data showed the limiting values of some oceanographic parameters, for that species, to be: 26°C lower surface temperature, 28.6° C surface temperature, 28.6° C upper surface temperature, 36.8° / the higher salinity and 5.7 ml/1 higher dissolver oxygen. No statistical minimums were found for salinity and dissolved oxigen. Maximum values of temperature e and salinity did not show up inside the area limited by the lower surface temperatures. As the maximum for dissolved oxigen is not a limiting factor, the best areas for yellowfin tuna (Thunnus albacares) - shown on the charts - were discriminated by the lower limits of surface temperature alone. The catches of 1980 showed good agreement with the mapped areas.
%P 101
%@language pt
%9 Dissertação (Mestrado em Sensoriamento Remoto)
%3 publicacao.pdf


Close